Notícias

25 01/2018
O impacto da privatização de aeroportos

O governo federal arrecadou cerca de US$ 14 bilhões – cinco vezes mais do que o esperado - com a concessão à iniciativa privada dos aeroportos internacionais de Guarulhos, de Viracopos, em Campinas, e de Brasília, em leilão realizado em fevereiro de 2012, na sede da Bolsa de Valores de São Paulo. 

Privatizados, todos os aeroportos receberam investimentos em infraestrutura, tendo em vista o aumento do tráfego de passageiros – que cresceu de 53,9 milhões em 2000 para 175 milhões, em 2013 – e a expectativa de uma demanda ainda maior em razão da Copa do Mundo de 2014.

Os consórcios vencedores ampliaram a capacidade dos terminais, pista e pátio de aeronaves – ainda que alguns projetos, como o de Brasília, por exemplo, tenham sofrido atrasos em sua execução – e os três aeroportos registram, inclusive, alguma melhoria no nível de serviços desses aeroportos. 

[...] três aeroportos privatizados na rodada de concessões de 2012 registraram aumento absoluto da demanda de passageiros após as privatizações. O desempenho relativo, no entanto, foi distinto. A demanda do aeroporto de Guarulhos, por exemplo, manteve-se relativamente estável após a privatização, quando comparado com os demais aeroportos brasileiros ainda sob o controle da empresa estatal Infraero. E a privatização induziu, de fato, um aumento de demanda no aeroporto de Viracopos, mas provocou, ao mesmo tempo, um declínio significativo na proporção de demanda do aeroporto de Brasília. Leia mais